Ex-párocos

PÁROCO: Padre Donizetti Tadeu Venâncio, SJ

Filho de Josina Venâncio e de Domingos Venâncio, o atual pároco da Paróquia Santíssima Trindade é natural de Mococa, cidade na região de Ribeirão Preto, no Estado de São Paulo. Filho único, nasceu 1956, em uma família simples e iniciou a vida trabalhista aos 14 anos no comércio local. Aos 17, já trabalhava em uma unidade do Unibanco, ficando por doze anos neste emprego.  

Conheceu os jesuítas no início da década de 1980, quando o padre Paulo de Souza, SJ, foi a Mococa fazer um trabalho da Pastoral Vocacional. Ao saber da missão mundial da Companhia de Jesus, entusiasmou-se ainda mais com a causa do Reino. 

“Ainda trabalhava no Unibanco e tinha uma namorada, mas nestes contatos com o padre Paulo, ele permitiu-me conhecer o modo de ser dos jesuítas. A missão Ad extra (do latim, por fora) foi o que mais me cativou, pois eles não tinham parada, estavam sempre se deslocando a serviço do Reino”. (Padre Donizetti)

Quando completou 30 anos (em 1986), depois de dois anos de uma caminhada vocacional, padre Donizetti decidiu ingressar na Companhia de Jesus. Viveu o noviciado em Campinas (SP) e o juniorado  em João Pessoa (PB). A Formação em Filosofia e Teologia foi feita em Belo Horizonte, na FAJE, de 1988 a 1995. 

Ordenado Sacerdote no dia 29 de julho de 1995, na Matriz de São Sebastião (onde também foi batizado, em Mococa, padre Donizetti logo foi destinado ao trabalho no Economato da antiga Província Centro-Leste (hoje Província do Brasil), no Rio de Janeiro (RJ).

Por 10 anos desenvolveu essa função, ao mesmo tempo que atuava pastoralmente com o movimento Associação de Vida Mariana e também com a condução dos Exercícios Espirituais de Santo Inácio.

Em 2004 foi transferido, a pedido, para a Paróquia São Francisco Xavier, em BH, permanecendo por seis anos como colaborador no trabalho pastoral, sendo que nos dois últimos assumiu a missão de pároco. Da paróquia foi convidado a dirigir a Residência Irmão Luciano Brandão, casa de saúde dos jesuítas em BH. Por cinco anos esteve à frente desta missão, convivendo com os 25 residentes.

“Depois de cinco anos lá, senti-me um pouco cansado e numa conversa com o padre Smyda, ele apresentou-me três possibilidades de missão: Paróquia de Montes Claros, Itaici e Paróquia Santíssima Trindade. Após um período de oração e discernimento, fiz a opção pela paróquia, aqui de Santa Luzia (MG).”

No início de 2014, quando chegou à Santíssima Trindade, padre Donizetti atuou como vigário paroquial. Porém, no dia 18 de dezembro, assumiu a missão de Pároco, após a destinação do padre José dos Passos, seu amigo desde 1986, para a cidade de Iconha (ES).

MENSAGEM AOS FIEIS

“A Paróquia me chama a atenção e me toca pela sua localização, tendo presente que a Companhia deve estar onde é mais difícil, é fronteira, estou aqui por este motivo fundamental. Percebo que devemos fazer uma longa caminhada, ou então, brevíssima caminhada de conscientização daquilo que é ser igreja de Jesus Cristo, pois Ele sempre quis uma igreja unificada e voltada para a divulgação e propagação do reino. Para que isso aconteça,precisamos estar unidos. A semente precisa ser semeada, mas devemos estar juntos para que essa semente seja realmente levada a todos os recantos deste mundo e, principalmente, aqui na área territorial da Santíssima Trindade.


 

10868159_10200285348771618_2111849017685089117_nVIGÁRIO: Padre Roberto Albuquerque, SJ

Filho de Aureliano Romão de Albuquerque, tenente do Exercito, e religiosamente congregado mariano e vicentino, e de Odete Santos Albuquerque, dona de casa e filha de Maria e vicentina, padre Roberto Albuquerque é o mais velho dos três filhos do casal. Nasceu em São Gonçalo (RJ), no dia 10 de julho de 1948.

Na infância esteve sempre ligado à sua comunidade de fé na Paróquia São Sebastião do Barreto, em Niterói (RJ). Já nos tempos de adolescente, foi coroinha e congregado Mariano, e também integrante da Cruzada Eucarística (atual Movimento Eucarístico Juvenil). Conheceu a Companhia de Jesus por ser estudante no colégio Santo Inácio da capital Fluminense. 

Lá haviam muitos padres, um para cada ano escolar, além dos diretores espirituais e orientadores pedagógicos. Tive uma experiência maior, no 3º ano, quando fiz o retiro de três dias, marcante e decisivo em minha vida como também o acompanhamento que tive com o padre Gui Rufier, SJ.

Padre Roberto cursou Economia por um semestre, pois logo decidiu seguir a vida junto à Companhia de Jesus. Integrou a última turma de noviços, em Itaici (SP), cursou a Filosofia em São Paulo (SP) e a Teologia na PUC Rio. Vivenciou o Magistério nos colégios São Francisco Xavier (São Paulo) e Loyola (Belo Horizonte). 

Ordenado em Friburgo, no dia 18 de dezembro de 1976, padre Roberto também é mestre em Teologia (tendo cursado na na PUC Rio, PUC de Santiago e na Gregoriana, em Roma).  Viveu a 3ª Provação, em Salamanca (Espanha). Abaixo a relação das atividades pastorais já desempenhadas pelo vigário da Santíssima Trindade:

  • 1977 – Colégio Loyola, diretor de Pastoral. 
  • 1978 – Rio, acompanhante da residência de Teologia. 
  • 1986-1992 – Goiânia, na Casa da Juventude. 
  • 1992-1997 – Moçambique, campo de refugiados e depois como pároco na catedral de Tete e diretor da comunidade vocacional, na Beira. 
  • São Paulo, Diretor do Anchietanum e Superior do Pateo do Collegio.
  • 2005 a 2007 – Santa Luzia, Pároco da Santíssima Trindade.
  • Moçambique, sócio do mestre de noviços e diretor espiritual do Juniorado e sócio do Regional
  • Santa Luzia, Vigário da Santíssima Trindade desde o dia 2 de fevereiro.

MENSAGEM AOS FIEIS

É um sentimento de alegria por ter retornado à paróquia e ver tantas atividades. Ainda mantenho certa preocupação com a pouca renovação com as lideranças, todavia desejo que continuem firmes, animados e perseverantes no trabalho evangelizador.

Ops.: O lema pastoral do padre Roberto é baseado  no Evangelho de São João 3, 31: “é preciso que ele cresça e eu desapareça”