É tempo de reconciliação! Participe das celebrações da misericórdia e confissões na Paróquia

em

A Paróquia Santíssima Trindade dará início, na noite desta quinta-feira (4/4), às Celebrações da Misericórdia 2019Com proposta mais enxuta, mesmo modelo do ano passado, não ocorrerão os encontros semanais, mas uma celebração em cada uma das comunidades.

Estruturada com momentos de confissão e absolvição comunitária, a liturgia das celebrações da Misericórdia reforça o convite a um dos aspectos que o papa Francisco mais destaca em suas catequeses: a importância de vivermos a misericórdia na prática e não apenas de palavra.

Nas celebrações, o fiel é convidado a dar o primeiro passo e deixar ser “misericordiado” pelo Senhor, isto é, acolhido pelo Seu amor inclusive com as suas misérias e perdoados de suas falhas. Além disso, é enviado, como fruto dessa experiência da misericórdia divina, a abrir o próprio olhar e o coração ao próximo.

Confira as datas e comunidades: 

  • Bom Jesus (e S. Alberto)
    04 de abril, às 20 horas, com o padre José Carlos SJ. 
  • Nossa Senhora da Guia (e S. Família)
    05 de abril, às 20 horas, com o padre Donizetti SJ.
  • São José
    06 de abril, às 20 horas, com o padre José Carlos SJ.
  • Santo Inácio
    11 de abril, às 20 horas, com o padre José Carlos SJ. 
  • São José de Anchieta
    11 de abril, às 20 horas, com o padre Donizetti SJ. 
  • Nossa Senhora da Paz
    12 de abril, às 20 horas, com o padre José Carlos SJ. 
  • Nossa Senhora da Penha
    13 de abril, às 20 horas, com o padre Washington SJ. 

Confissões individuais

Já habituais nas comunidades da Paróquia, as confissões auriculares, individuais, serão realizadas na manhã da Sexta-feira da Paixão e também em outros dias da Semana Santa. Medida adotada para promover maior tranquilidade a quem vai viver o Sacramento da Reconciliação. 

Confira a proposta apresentada pelo pároco, padre José Carlos SJ com a relação de datas e horários para que você possa ir a uma das nossas comunidades se confessar. 

  • 13 de abril, sábado
    na Igreja Nossa Senhora da Penha
    19 às 20 horas
  • 14 de abril, domingo de ramos
    nas comunidades

    Após as missas da manhã
  • 15 de abril, segunda-feira Santa
    nas igrejas Paz, Penha e Santo Inácio

    18 às 20 horas
  • 16 de abril, terça-feira Santa
    nas igrejas Paz, Penha e Guia

    18 às 20 horas
  • 17 de abril, quarta-feira Santa
    nas igrejas Paz, Santo Inácio e Bom Jesus

    18 às 19h30
  • 18 de abril, quinta-feira Santa
    nas comunidades

    A partir das 18 horas até 30 minutos antes da celebração
  • 19 de abril, sexta-feira da Paixão
    nas comunidades

    8 às 12 horas, manhã de oração e atendimento às confissões
    (confirme o horário que o padre ficará na comunidade).

Afinal, como celebrar o Sacramento da Reconciliação?

Para que os fieis vivam com disponibilidade este tempo favorável ao perdão e ao exercício da misericórdia, o padre Donizetti Venâncio SJ elencou cinco passos para uma boa confissão. “Estamos no Tempo Quaresmal, daí, creio que se faz necessário termos presente o exercício da misericórdia, que se faz nesses passos”, explica. 

Confira:

Sentir-se Amado: não somente um sentimento teórico, mas, experiencial. Trazer à mente uma experiência do seu relacionamento com Deus. Ter presente nossa condição de criaturas de Deus. Criados(as) à Sua imagem e semelhança. Portanto, não somos deuses, mas filhos(as) muito amados(as).

Reconhecer-se Pecador(a): o pecado corrompeu a imagem e semelhança de Deus no pecador. O sacramento da Reconciliação quer restaurar essa imagem. Quer devolver ao pecador a sua condição primeira. Para isso ele(a), precisa reconhecer-se pecador(a).

Querer mudar de coração: deixar para traz o coração de pedra que foi carcomido pelo pecado e colocar um coração novo, de carne, de sentimentos, de afeições ordenadas, de bons propósitos, de bons desejos.

Declarar-se culpado: “Confessei a ti o meu pecado e tu absolveste o meu delito, perdoaste o meu pecado”. Sl 32(31),3-5. No reconhecimento, sentindo-se culpado, mas não condenado, a pessoa se liberta.

A reparação – assumir um compromisso: o pecado, na ordem pessoal ou comunitária, causa uma mazela, corrompe, etc. Cabe ao pecador(a), já perdoado por Deus, buscar a reparação. Algo que seja concreto. Por exemplo: devolver o que foi tirado, visitar um doente, acolher uma criança, dar de comer a quem tem fome, etc.

Obrigado por comentar e compartilhar.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s