Ordenados diáconos, jesuítas são chamados a manifestar o rosto de uma Igreja servidora e acolhedora

em

Como dar testemunho da bonita experiência celebrada, ontem (3/12), na Paróquia Santíssima Trindade? Peço licença para falar em primeira pessoa deste encontro de fé entre Amigos no Senhor na Ordenação Diaconal dos jesuítas Albino Gonçalves, Edgar Magallanes, Edgar Cervantes, Fernando Tiscareño e Paulo Leandro.

38788668262_d88729b4f0_k

Vejo o sacramento da Ordem como um momento de intensa intimidade com Deus, com os irmãos e, sobretudo, com estes jovens que se colocam em inteira disposição a serviço da vida. Por Cristo e com a comunidade cristã, ousam atravessar fronteiras, vencer a saudade e dedicar-se pura e prontamente ao outro. É ou não é muita vida partilhada?

Ao entrevistar dom Edson Oriolo, bispo auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte que presidiu a celebração, ouvi dele uma resposta que é para gerar em nós a inquietação que um dia esteve presente no coração desses irmãos ordenados diáconos. Nosso bispo disse:

“É uma riqueza para a Igreja este momento de consagração e o testemunho desses jovens que estão a dedicar sua vida ao serviço do Reino de Deus. São mensageiros, missionários que terão a responsabilidade de lançar a semente do Verbo e levar Deus as pessoas e, por outro lado, trazer Deus para as pessoas”. (Dom Edson Oriolo)

Este momento marca um importante passo na consolidação de uma vida de fé e de um caminho tão exigente na formação como o é proposto na Companhia de Jesus. E graças a essa Companhia, temos na Paróquia Santíssima Trindade a alegria de partilhar com esses jovens a responsabilidade de ir lançando a semente do Verbo na vida das pessoas.

Enquanto lê o texto, ouça a homília completa. 

Meus irmãos e minhas irmãs, foi isso o que fizeram Edgar, Albino e Fernando. Seja no trabalho com catequese e espiritualidade, com os casais do ECC e também na Pastoral do Batismo, temos a certeza de que o fizeram bem, muito bem. Quanto ao Paulo Leandro e ao Edgar Cervantes vocês que com eles conviveram creio que dão o mesmo testemunho.

Aos neo-diáconos

Qual foi a sensação de vocês ao ouvir a homilia de dom Edson Oriolo? Uma linda e valorosa catequese ao recordar que o diácono deve, essencialmente, manifestar o rosto de uma Igreja servidora e acolhedora. Ele deve atuar para torná-la mais familiar, na proximidade com as pessoas e dispostos para servir a todos.

“Com a oração da Igreja e na imposição das mãos do Bispo, vocês estarão configurados em Cristo, cabeça da Igreja, que por amor ao Pai fez-se último e servo de todos”, disse Dom Edson ao destacar que a graça sacramental dá ao diácono a força necessária para servir o Povo de Deus na diaconia da Liturgia, da Palavra e da Caridade, em comunhão com o bispo e os presbíteros.

Percebe-se nesses jovens a força de quem já está pleno das atribuições do diaconato no dia a dia de sua missão. Agora, ainda mais configurados ao Cristo Servo, devem cultivar a presença do Espírito Santo para desempenhar dignamente suas atividades, com a clara demonstração do amor, paz, alegria e mansidão, frutos desse mesmo Espírito.

Para concluir sua fala aos neo-diáconos, Dom Edson destacou três importantes marcas do serviço do diaconato:

  • Vocês devem ajudar a comunidade cristã a deixar-se santificar pela graça dos sacramentos que irão administrar e assistir.
  • Vocês devem colocar-se a serviço do reino, fermentando todos os setores da vida eclesial e social através das obras de caridade.
  • Vocês, com seu testemunho, serão capazes de abrir os olhos da comunidade para enxergar a realidade dos excluídos e marginalizados para que a solidariedade seja o outro nome da paz.

Povo de Deus! 

Quando falamos em ordenação diaconal na Paróquia Santíssima Trindade é um misto de sentimentos: a alegria em sediar a celebração, a disponibilidade para ajudar nas tarefas litúrgicas e de convivência, a memória afetiva pelos anos vividos em sintonia com os até então jesuítas estudantes de teologia.

Acima estão listados uma parte destes sentimentos, pois também abrimos o coração para dar lugar à saudade que ficará com o momento posterior ao “Ide em Paz e que o Senhor vos Acompanhe” da missa do primeiro domingo do Advento. Isso porque é aí que cai a ficha que esses amigos irão regressar às suas origens, seus países e novas missões.

O que se viu na igreja Nossa Senhora da Penha pela manhã e à noite nas demais comunidades foi algo assim: uma mescla de sentimentos, dosados com abraços afetuosos, torcidas com cartazes do tipo “valeu Tisca”, “valeu Edgar”, mensagens nas redes sociais já cobrando uma visita desses caras e a certeza de que nos fizemos Amigos no Senhor.

Aos companheiros jesuítas, padre Donizetti Tadeu Venâncio, SJ, pároco da Santíssima Trindade agradeceu todo o bem que fizeram a esta parcela do povo de Deus reunida nas periferias da capital dos mineiros.

“Agradeço, em nome da Paróquia, a dedicação, a partilha e a presença no dia a dia de nossas comunidades, trazendo da parte de vocês experiência, conhecimento e engajamento nas diversas áreas da Paróquia, sem deixar de lado ou ignorar qualquer pastoral,  mesmo aquelas mais exigentes, como é o caso da Pastoral Carcerária. Desejo a todos, que ao retornar aos seus países de origem, possam continuar testemunhando Jesus Cristo, especialmente nos pobres e excluídos da nossa sociedade.” (Donizetti, SJ)

Importante destacar que os jesuítas Carlos Vidal e Rui Muakandala, que aqui atuaram junto às pastorais sociais e que concluíram o Curso de Teologia junto aos demais que ontem ordenaram diáconos, irão celebrar o sacramento da Ordem em seus países de origem, respectivamente, Chile e Timor Leste.

Presenças

Cerca de 500 pessoas participaram da celebração eucarística do 1º Domingo do Tempo do Advento, na qual foram ordenados diáconos cinco jesuítas do Centro Interprovincial de Formação Santo Inácio de Loyola (CIF) de Belo Horizonte.

Entre os quais lideranças e agentes pastorais e comunitárias da Paróquia, amigos e amigas dos neo-diáconos, religiosos e religiosas de diferentes ordens e congregações, seminaristas e familiares vindos do México, Chile e Timor Leste, além dos que vieram dos estados do Pará, Piauí e Goiás.

Presidiu a celebração, dom Edson José Oriolo, bispo auxiliar e referencial para a Região Episcopal Nossa Senhora da Conceição (Rensc) da Arquidiocese de BH. Concelebraram os padres João Renato Eidt, superior da BRA; Edison de Lima, reitor do CIF e Donizetti Venâncio, pároco da Santíssima Trindade.

Outros padres jesuítas vindos de diferentes regiões do Brasil e do exterior também participaram com a gente nesta celebração, entre eles Joaquim Sarmento, superior da província dos Jesuítas do Timor Leste; Carlos Cervantes, sócio do provincial dos Jesuítas do México, Roberto Barros, delegado para a formação dos jesuítas do Brasil, Mieczyslaw Smyda, superior da Plataforma Leste na Província do Brasil.

Veja mais fotos em nosso Flickr. Clique aqui!
Para os vídeos, acesse nosso YouTube. Clique aqui!

Contribuíram nessa cobertura: [Fotos] Clayton Henrique, João Paulo Marques e [Vídeo e Texto] Marcelo Barbosa, integrantes da Pastoral da Comunicação da Paróquia Santíssima Trindade. 

1 comentário Adicione o seu

  1. Angela Maria disse:

    Muito emocionante ver a nossa paróquia sediando um evento tão lindo. Parabéns a todos que participaram da preparação e acolhida. Tudo perfeito. Consegui sentir a emoção de uma mãe. Parabéns, principalmente aos novos diáconos! Que a sua caminhada seja plena .

    https://polldaddy.com/js/rating/rating.js

Obrigado por comentar e compartilhar.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s