Festa da Penha: 33 anos de vida e missão, com Maria, proclamando a Palavra

IMG_4494

Em uma celebração festiva, na tarde do último domingo (15), a comunidade católica do Palmital B, em Santa Luzia, concluiu a 33ª festa de sua padroeira, Nossa Senhora da Penha. Ao todo, a festividade aconteceu em 16 dias com oportunidades de encontro, de convivência e de partilha da Palavra.

A Solenidade coroou o percurso feito até aqui e em sua homilia, o pároco da Paróquia Santíssima Trindade, padre Donizetti Venâncio, SJ, recordou que a festa da comunidade teve uma bonita preocupação em garantir às pessoas o encontro com Deus e sua Palavra. Foi um tempo bonito de evangelização nas casas, com as famílias e também nas ruas.

Na procissão, ao passar com a imagem, principalmente pela rua João Batista de Lima mesmo com seus afazeres, comuns do final de tarde de domingo, muitas pessoas fizeram uma experiência de fé e devoção. Com Maria, percorrendo o bairro, a comunidade deu testemunho da fé em Jesus Cristo, luz para a Igreja e seu povo.

“Que Maria nos ajude a sermos pessoas revestidas do Evangelho e que o testemunho dado por nós revele todo o Bem que Deus nos oferece e nos chama ser promotores. Que Maria, Nossa Senhora da Penha nos ajude a sermos pessoas melhores”, disse Donizetti.

Terminada a celebração, os fieis foram convidados para um lanche, com distribuição de bolo e refrigerante. E agora, você, nosso leitor, vai acompanhar um pequeno resumo das atividades da 33ª Festa, que teve um bonita participação das pastorais e movimentos, das famílias e também das comunidades irmãs da Paróquia Santíssima Trindade.

Comunidade Nossa Senhora da Penha
33 anos de vida e encantamento a quem por ela passa e fica e deixando sinais visíveis de alegria e acolhida na memória quem por ela passa e vai embora.

Feliz é a comunidade da Penha que acolheu a incrível ideia de um argentino de nome Bergolio, que ao se tornar papa Francisco, nos trouxe o desafio de ser e viver como Igreja em Saída, com o pé na estrada e cheios de alegria. Assim, não vamos esquecer da Palavra que ouvimos, das casas em que estivemos e dos caminhos que percorremos.

Era 1º de outubro, logo às 7h30, nossa festa teve início, era a Paz e Alberto Hurtado os convidados queridos. Teve leitura impecável de criança e salmo entoado com toda a comunidade. Já às 19h30, deram vida à nossa vida, na Memorável Eucaristia, a liturgia das irmãs queridas, comunidades Santo Inácio e Bom Jesus.

No grupo de oração teve encontro especial, com partilha e testemunho, deram início à nossa semana. Nas histórias ali contadas, não se esqueça gente amiga, que a Penha em seu início já tinha experiência, em sair de casa em casa partilhando os sacramentos e celebrando o Deus da Vida.

De terça a sexta-feira, nossa igreja estava em marcha! De um dia, em um setor, já no outro, em nova casa. Donas Diva, Marilda e Odete, em sequência 1, 2 e 3, acolheram em suas casas quem buscava a Palavra. Dona Hilda minha gente, seu sorriso encantava, a quem em sua casa entrou e a quem no portão ficou. Era a vez do setor 4 celebrar a Palavra.

Quem se lembra do dia 7, era sábado minha gente! Com suas indagações, nossos jovens nos levaram a olhar para dentro e a enxergar se a vida de nossa gente tem sido plena como pede o Cristo Jesus. Se a noite era da juventude, voltamos um pouco no tempo, e lá nas décadas de 70 e 80, oferecemos diversão em uma memorável noite dançante.

Já em 8 de outubro, foi a vez dos são José’s. O primeiro é o pai de Jesus, já o segundo, o pai do Brasil. São José, o carpinteiro e São José, o de Anchieta. Bem, à noite, não se esqueça da Sagrada Família e das crianças da Guia. Veja só que coisa bela, as crianças da Guia que à Senhora da Penha homenagearam com alegria.

Pois não se esqueça desse dia, confiança e empatia! No encontro das pastorais, lá do México veio a ajuda! Fernando Tiscareño, SJ nos fez entender, que para a comunidade caminhar unida é preciso calçar as sandálias do outro e deixar-se cair nos braços de quem ajuda. Confiança e Empatia! Mais uma vez, confiança e empatia.

De pé na estrada outra vez, a Penha fez sentido, subimos as penedias do setor 5 e lá na dona Conceição celebramos com seus filhos. Já no Setor 6, teve festa em nossa festa. Dona Angelina, do Círculo Bíblico, fez bolo e decoração para quem partilha a Palavra com o coração. E por fim, lá no Conquista, dona Augusta recebeu, à toda nossa gente que do ônibus ficou a pé.

Nossa sexta-feira, dia 13, teve sinais de muita vida e solidariedade, na celebração de encerramento da novena à Nossa Senhora da Penha, os fieis de todos os setores reuniram-se novamente na igreja e lá entregaram cerca de 200 quilos de alimentos que serão incluídos nas cestas básicas das famílias atendidas pelos vicentinos.

Em meio à nossa festa, a festa de todos os brasileiros. Em um lugar especial, no coração do Palmital, um tempo de celebração à Negra Mariama, nossa mãe Aparecida e há 300 anos bendita em nosso Brasil. Viva a Mãe de Deus e Nossa! Salve a Virgem Aparecida.

Meus irmãos e minhas irmãs, pra nós brilhou a luz, pois o Filho as trevas dissipou, e ao ouvir as Escrituras o fogo se fará e em tua presença o povo viverá. A celebração da Luz reuniu muita gente que com poucas palavras disseram e testemunharam os inúmeros sinais de Luz da comunidade da Penha em meio às trevas que as vezes nos envolvem.

Depois da Luz, mais um momento de convívio e celebração da Amizade. Em mais um bingo da Penha (e do salário), brincamos com a já conhecida rivalidade entre Atlético e Cruzeiro para destacar que a paz, a acolhida, a alegria, a convivência, a harmonia e as festas da vida são dons de Deus e esperança nossa.

Quando amanheceu o dia, com uma hora adiantada, lá estávamos nós, na quadra preparada. Era a hora do 4º Torneio de Queimada! Mais uma vez aqueles jovens altos, goleiros e zagueiros deram show e conquistaram as medalhas. Sete times, mais de 100 jovens, com o esporte celebrando a coletividade (e de tabela, a comunidade).

E, por fim, irmãos e irmãs, da Penha para as penhas da vida, em procissão e na missão. Teve terço, caminho e pão. Nossa Padroeira, que nos pede “Simão, Vela e não Durma” nos deu força no caminho, para com Ela, proclamar a Palavra, na missa, na rua, na quadra, nas famílias e na vida. Viva Nossa Senhora da Penha.

Em breve, em nosso YouTube, um resumo em vídeo das missas nos setores e outras atividades da 33ª Festa de Nossa Senhora da Penha.

Contribuíram com essa publicação: Texto: Luciene Reis e Marcelo Barbosa. Fotos: Carla Barbosa, Clayton Henrique, Dener Santos, Luciene Reis e Marcelo Barbosa. Integrantes da Pastoral da Comunicação da Paróquia Santíssima Trindade.

1 comentário Adicione o seu

  1. Luh Penha disse:

    A felicidade é imensa por mais uma vez, Deus ter permitido q eu vivesse p ver c meus olhos o quão belo e prazeroso é fazer parte dessa comunidade q a 33 anos encanta a todos c seu carisma e acolhida. A festa acabou por horas mas a missão continua… #SempreFoiDeus

    http://i0.poll.fm/js/rating/rating.js

Obrigado por comentar e compartilhar.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s