Abertura da Semana Social 2017 traz memórias, exemplos para transformar o tempo de agora

Com elementos audiovisuais e uma intervenção artística da bailarina Ilma Silvério, a Paróquia Santíssima Trindade abriu, na noite dessa terça-feira (22/8), a Semana Social 2017.  Com o tema “Participação Transformadora, que promove a Paz e luta pela Democracia, o evento acontece até o próximo sábado, dia 26, na Comunidade Nossa Senhora da Penha, no Palmital B. 

A primeira noite do Fórum de Debates apresentou um histórico de problemas comuns e as ações obtidas por meio da intensa e importante Participação Transformadora das pessoas ao longo da história das comunidades e na ocupação dos bairros dessa região.

IMG_1624

Encarregado pela dinâmica da noite, Marcelo Barbosa recorda que a proposta era a de provocar as pessoas a fazer memória e compreender a força da participação, por meio de elementos visuais, sensitivos e no contemplar do trabalho de uma artista como a Ilma Silvério.

Os problemas de outrora, deram a base para que os mais de 70 participantes ousassem nomear os de agora. Além disso, puderam falar sobre pessoas que inspiram sua missão e recordar as muitas ações transformadoras desenvolvidas com a ajuda dos integrantes da paróquia.

Há dois anos e meio na Paróquia, o jesuíta mexicano, Fernando Tiscareño resumiu a experiência como uma oportunidade de reflexão que ajuda as pessoas a seguir em frente.

“Mexeu com meus sentimentos, mesmo eu, estrangeiro, não fazendo parte desta rede desde a sua fundação, ao ouvir as lembranças fiz uma importante experiência, sobretudo, porque os relatos eram de problemas e de pessoas que se unem”, comenta.

Maria Bernadete é integrante do Clube de Mães da Creche Senhora da Paz e destacou que a memória é alimento que dá força continuar as lutas de agora. “É preciso que a Paróquia assuma lugar nos conselho de direitos, como o da Criança e do Adolescente, para lutar por políticas públicas que atendam a nossa população”, recorda.

Intervenção

Ao compor o cronograma da Semana Social 2017, os organizadores destacaram que fazer memória é um exercício importante para quem quer compreender o tempo presente e propor ações transformadoras. Assim, nove mulheres, todas elas com forte atuação social na vida das comunidades foram convidadas para relatar, em vídeo, suas trajetórias.

Elas trouxeram problemas que eram comuns às comunidades e nos bairros e que afetavam a vida de quem aqui ia chegando para viver o sonho da casa própria. Da falta de água à dificuldade em ter um transporte com dignidade, esses desafios geraram um movimento interessante: o encontro de pessoas.

Tina, Suzane, Deralda, Cleonice, Luciene, Fátima, Maria Antônia, Elenita, Pretinha! Essas mulheres trouxeram tantas histórias, tantas vidas, tantas partilhas, que a intervenção da Ilma Silvério, associada ao vídeo exibido, suscitou e abriu espaço para mais nomes e histórias.

“Uma cena pensada para trazer à tona o cotidiano, seus conflitos e desafios, problemas que existem não somente no universo da arte, mas no dia-a-dia e que nos deve motivar a acionar os parceiros, as redes para solucioná-los”, explica Ilma.

Participação dos jovens

Além da bonita participação das pessoas mais experientes, jovens da paróquia envolveram-se com a atividade da Semana Social. Do grupo de acólitos da comunidade Santo Inácio, Camila Andiara ficou surpresa com o primeiro dia do Fórum de Debates.

“Achei bem legal o modo como a temática foi apresentada e o envolvimento das pessoas, além de ver a importância que o outro tem em nossas vidas”. Andiara faz essa reflexão, após ouvir nomes de pessoas, grupos ou instituições que contribuíram para que problemas enfrentados pelos primeiros integrantes da Paróquia encontrassem solução.

Aos 17 anos, Ela considera a Educação e a Violência como os grandes problemas do tempo de agora para a vida das juventudes, mas vê na participação o caminho certo. “É preciso participar, falar, procurar saber dos nossos direitos e correr atrás, sempre, para transformar essas situações que estamos todos envolvidos”, conclui.

Ainda mais jovem, com apenas 13 anos, a Larreyne Soares, moradora do bairro Nova Conquista e aluna da Fundação Fé e Alegria, também compreendeu que falar dos problemas, reconhecê-los, é um caminho para a busca de solução. “É falando, colocando os problemas em dia é que vamos resolvê-los”, disse.

Hoje!

Com ajuda do padre Elio Gasda, sj, a proposta para a noite desta quarta-feira (23/8) será compreender e dialogar com a conjuntura nacional, a partir do posicionamento da Igreja Católica, por meio da articulação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil. 

O encontro terá início às 20 horas e você é nosso convidado especial. Sobre o padre Elio Gasda, é importante recordar que ele fez parte desse movimento inicial das comunidades de fé da Paróquia Santíssima Trindade.

Veja mais fotos em nosso Flickr. Clique aqui!

Hoje, além do bacharelado em filosofia (1997) e teologia (2002) pela FAJE, Elio Gasda é Mestre (2005) e Doutor (2010) em teologia pela Pontifícia Universidade Comillas de Madrid (Espanha) e professor de Teologia Moral Social, na FAJE.

Forum de Debates - 2ª Noite-01

Obrigado por comentar e compartilhar.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s