DÍZIMO 1! É sinal de gratidão, devolução generosa, partilha consciente e contribuição responsável

Iniciamos hoje uma série de 4 publicações acerca da importância de toda a comunidade de fé estar atenta e ser fiel quanto à entrega do Dízimo. Vamos aqui entender o sentido bíblico, pastoral, social e missionário desse dom que é colocado a serviço da vida, pelo Evangelho de Jesus, em gestos de solidariedade e acolhida. 

EM QUE SENTIDO PODEMOS AFIRMAR QUE O DÍZIMO É SINAL DE GRATIDÃO? O Dízimo é sinal de gratidão quando fazemos dele uma expressão de reconhecimento ao Deus que dá a vida e a mantém. O Dízimo quando oferecido de coração agradecido, torna-se oração de ação de graças. O Dízimo é partilha quando fazemos dele uma expressão de nossa comunhão com Deus e com a comunidade. O Dízimo quando oferecido com consciência torna-se partilha que gera fraternidade.

Dizimo ed1 (1)

DEUS RECEBE O DÍZIMO QUE OFERECEMOS A ELE? Sim. Deus recebe o Dízimo através da comunidade. Tudo pertence a Ele. Ele é o dono; nós os usuários. Ele não precisa de nada para Ele, mas precisa para sua comunidade (Igreja). Todo dízimo oferecido à comunidade é Dízimo oferecido a Deus.

COMO O DÍZIMO CONTRIBUI PARA QUE A PAROQUIA CUMPRA SUAS OBRIGAÇÕES? O Dízimo permite que a comunidade paroquial exista, se mantenha e cumpra com aquela que é sua tarefa prioritária: a evangelização. Sem o Dízimo , a estrutura que possibilita a ação evangelizadora fica comprometida, quando não seriamente danificada ou até mesmo impossibilitada de alcançar o seu objetivo.

A SUSTENTAÇÃO DA COMUNIDADE É, PORTANTO, RESPONSABILIDADE DE TODOS OS SEUS MEMBROS? Sim. Todos os batizados são responsáveis pela sustentação e manutenção da comunidade à qual pertencem. Da pastoral da acolhida à pastoral do dízimo, tudo é responsabilidade de todos. Cada um deve fazer a sua parte de acordo com a vocação e os dons que recebeu de Deus. Ou seja, cada um deve fazer a sua parte sem perder de vista o todo, que é responsabilidade de toda a comunidade.

QUE GASTOS TEM A COMUNIDADE PAROQUIAL? Uma comunidade paroquial tem muitos gastos. Lembremos de alguns: as tarifas de água, luz e telefone; a manutenção da casa paroquial, do salão comunitário, da igreja etc. Além de gastos, existem os investimentos com pessoas, visando a formação e capacitação das mesmas: catequistas, agentes de pastoral etc. Toda comunidade paroquial, por menos que seja, deve ter receita suficiente para cobrir os gastos e fazer os investimentos necessários.

O DÍZIMO É, PORTANTO, O MEIO ORDINÁRIO DE SUSTENTAÇÃO DE UMA COMUNIDADE? Sim. O Dízimo deveria suprir todos os gastos ordinários de uma comunidade. Por isso é essencial que o conselho não trabalhe isolado dos outros membros da comunidade, mas esteja sempre em sintonia com eles, seja prestando contas, seja levando ao conhecimento deles as necessidades da comunidade.

Dizimo ed1 (5)E QUANDO O DÍZIMO NÃO É SUFICIENTE PARA SUSTENTAR AS DESPESAS ORDINÁRIAS DA COMUNIDADE? Nesse caso convém fazer a seguinte reflexão: toda comunidade, por mais pobre que seja, pode se sustentar com dignidade. Geralmente não são os recursos que faltam: o que falta é a conscientização que leva a generosidade. Daí a importância: 1°) Uma campanha de esclarecimento; 2°) Uma equipe que seja, ao mesmo tempo, criativa e competente; 3°) Um constante reavivamento da importância e do valor do dízimo e, 4°) uma prestação de contas que mostre como o dízimo está sendo bem administrado e é necessário para a vida e sobrevivência da comunidade.

AS OFERTAS SÃO UMA COMPLEMENTAÇÃO DO DÍZIMO? Sim. As ofertas (= coletas feitas nas missas e cultos) Complementam a receita ordinária da comunidade. O dízimo é compromisso estável; a oferta e doação espontânea, sem compromisso estável, fruto da generosidade e da disponibilidade econômica momentânea do ofertante.

CONHEÇA EXPRESSÕES CONCRETAS DE AMOR
QUE ACONTECEM NA PARÓQUIA
POR MEIO DA CONTRIBUIÇÃO DO SEU DÍZIMO! 

Hoje, em nossa Paróquia Santíssima Trindade, temos dois importantes trabalhos para o cuidado com a pessoa encarcerada e à mulher. A saber, a Pastoral Carcerária e o Grupo Mulheres Criativas.

A Pastoral Carcerária atua junto aos 215 presos alocados no Presídio Municipal, de Santa Luzia, localizado no bairro Palmital. Seis mulheres de nossa paróquia atuam no trabalho de evangelização e promoção da dignidade humana por meio da presença da Igreja nos cárceres.

Ao lidar com o sofrimento, a depressão e o isolamento de muitas mães e esposas de pessoas encarceradas, integrantes dessa pastoral criaram, em 2005, o Grupo Mulheres Criativas, instalando-o na comunidade Nossa Senhora da Penha.

Mais de 100 mulheres já participaram das diferentes atividades e oficinas de confecções, artesanato e convivência para o fortalecimento de vínculos e reintegração à sociedade.

Obrigado por comentar e compartilhar.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s