Fieis refazem caminho da via dolorosa pela qual passou Jesus

Veja como foi a 4ª feira santa na Paróquia Santíssima Trindade

4ª feira - Penha (Marcelo Barbosa) (11)“Devoção já bastante antiga na Igreja que quer relembrar e refazer os passos de Jesus antes de ser crucificado por amor de cada um de nós”. Assim o padre Roberto Albuquerque, sj definiu as celebrações da Via Sacra. Na noite da última Quarta-feira Santa (1/4), as comunidades Nossa Senhora da Penha e Nossa Senhora da Paz promoveram esta devoção, que é própria da religiosidade popular, percorrendo as ruas dos bairros Palmital e Cristina, respectivamente. Os fiéis das comunidades Alberto Hurtado, Santo Inácio e Bom Jesus participaram da procissão do encontro.

A atividade na comunidade da Penha teve início na Praça Nadir Figueiredo e contou com a participação expressiva de mais de 100 pessoas. Ao passar pelo coração do bairro, a Praça da Savassi, o integrante do movimento da RCC, Milton Ilídio, destacou o movimento no qual os fiéis revivem a fé no Cristo. “Estar nas ruas é uma oportunidade de manifestar nossa fé, dando o testemunho de que Jesus está presente, por meio da vida de sua Igreja”, disse. As quatorze estações foram celebradas nas ruas e praças do bairro, sendo concluídas com a bênção de padre Roberto Albuquerque, sj, na igreja.

Com início na Praça da Paz, a Via Sacra da comunidade do Cristina, contou com a participação do padre Mieczyslaw Smyda,sj, Superior da Plataforma Apostólica Leste, da Companhia de Jesus no Brasil. O sacerdote está na paróquia desde a última terça-feira (31/3), quando foi recebido na residência paroquial, pelo pároco, padre Donizetti Tadeu, sj.

PROCISSÃO DO ENCONTRO

Com a ajuda dos jovens, as comunidades de Santo Inácio, Bom Jesus e Santo Alberto Hurtado, puderam reviver o encontro de Jesus com sua mãe durante a Via Crucis. A Procissão do Encontro reuniu pessoas de três bairros – Cristina C, Belo Vale e Castanheiras – sendo concluída com uma reflexão conduzida pela ministra Maria Evangelista.

Hilda Pacheco, coordenadora paroquial da Pastoral do Batismo, ressaltou as palavras da ministra, que falou do sofrimento vivido por Maria ao acompanhar o caminho doloroso percorrido por Jesus.

“O amor que sentimos por nossos filhos nos faz sofrer como Maria. Vê-los sendo assassinados seja pelas drogas ou pela falta de oportunidades e um futuro digno maltrata o coração de qualquer mãe”, disse Pacheco, ao recordar que os fieis foram embora em silêncio, unindo seus corações ao de Maria, que no íntimo do seu coração compreende todo o sacrifício que Jesus.

Confira o horário das celebrações da Vigília Pascal. Clique aqui.

Obrigado por comentar e compartilhar.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s